top of page

XXI Fórum do Meio Ambiente Debate Alternativas para a APA do Sertão Carioca e Revis dos Campos de Sernambetiba




O XXI Fórum de Meio Ambiente, organizado em parceria entre HotéisRIO e ACIR, foi realizado no dia 10 de abril no eSuites Hotel Recreio Shopping, no Rio de Janeiro. O evento reuniu líderes do setor público, empresários e representantes da sociedade civil para discutir soluções para a Área de Proteção Ambiental (APA) do Sertão Carioca e o Refúgio de Vida Silvestre (Revis) dos Campos de Sernambetiba, áreas que compõem o Mosaico das Vargens. O fórum destacou a importância da gestão ambiental e do planejamento sustentável para o desenvolvimento da região.

 

O evento contou com a presença do subprefeito da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Vargens, Raphael Lima, e do presidente da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, Carlo Caiado, além de outros convidados. Os debates giraram em torno de temas como unidades de conservação da natureza, planos de manejo e a gestão ambiental da Baixada de Jacarepaguá.

 

Para Alfredo Lopes, presidente do HotéisRIO e ACIR, o fórum é fundamental para promover o desenvolvimento sustentável na Zona Oeste. Alfredo enfatizou que a região é privilegiada pela natureza, com belas paisagens, mas também enfrenta desafios relacionados ao desenvolvimento urbano. Ele ressaltou a importância de um crescimento planejado e sustentável para proteger o frágil habitat. "É perfeitamente possível conjugar crescimento econômico com preservação do meio ambiente. Essa harmonia é essencial para as próximas gerações", disse o presidente Alfredo Lopes.


O Subprefeito das regiões da Barra, Recreio e Vargens, Raphael Lima, destacou a colaboração entre a Prefeitura do Rio e o Governo do Estado para a fiscalização do Mosaico das Vargens, evitando aterros irregulares e a apreensão de máquinas envolvidas em atividades ilegais. Carlo Caiado, por sua vez, falou sobre a necessidade de controlar o crescimento desordenado na região e anunciou que a dragagem do Complexo Lagunar da Zona Oeste será realizada pelo governo estadual, uma notícia bem recebida pela audiência.

 

Luiz Pedreira, gestor do Mosaico das Vargens, compartilhou detalhes sobre o trabalho de fiscalização para preservar as áreas protegidas. Com a ajuda de drones e helicópteros, foram redigidos mais de 80 relatórios de vistoria, apontando danos ambientais ao longo do último ano. No entanto, ele destacou a necessidade em garantir a proteção das áreas naturais.

 

João Rosas, gerente de gestão das Unidades de Conservação (UC), destacou a importância da participação da sociedade civil na gestão ambiental. Ele incentivou a colaboração de pessoas físicas e ONGs, sugerindo a adoção de áreas específicas dentro das UCs para apoiar projetos paisagísticos e manejo da vegetação.

 

Ricardo Couto, assessor da subsecretaria de Meio Ambiente e Clima, apontou que a elaboração de planos de manejo agora é mais ágil, graças à participação das comunidades locais em oficinas participativas. Isso permite que os planos sejam mais flexíveis e adaptáveis às mudanças na cidade.

 

No encerramento, Marco Paes, diretor da ACIR, ressaltou a importância do fórum como um espaço para a discussão de soluções ambientais, lembrando sua experiência pessoal ao viver por 25 anos na Vila Autódromo. "É a prova de que avançamos", concluiu ele.

 



O XXI Fórum do Meio Ambiente demonstrou a necessidade de uma abordagem coordenada para proteger e gerenciar as áreas naturais na Zona Oeste do Rio de Janeiro, promovendo um diálogo entre autoridades, empresas e sociedade civil para alcançar um desenvolvimento sustentável.

8 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page